domingo, 27 de junho de 2010

"...Isso é lá com Santo Antônio..."


Passei o dia dos namorados com a minha mãe e como muita gente há de pensar, acho que isso é um mal sinal. Não que mamãe seja má companhia, muito pelo contrário porque mamãe tem adorado uma balada, estando mais nova que eu pelo menos uns 20 anos. Mas é mal sinal, porque desde que atingi meus psicológicos quarenta anos não consigo mais me animar para festas, dormir depois das duas da manhã e me atirar no mundo do flerte e da paquera. Dançar até o chão então só na base do óleo para as articulações, caso contrário fico lá mesmo: no chão.

E não é de admirar que me vi no dia 12 de junho em uma festa junina, com pessoas com o dobro, ou então metade da minha idade, vestidas com roupas trabalhadas na xita, xadrez, chapéus e trancinhas, dançando frenéticas uma quadrilha improvisada, bebendo e se divertindo, coisa que eu deveria também estar fazendo e até fiz, mais por inércia do que por vontade . Esqueci que era dia dos namorados, esqueci que estava sozinha e esqueci que eu tinha pseudos 40 anos.

Eu sempre adorei festa junina: as comidinhas, as bandeirolas, as brincadeiras, correio elegante, o figurino e as simpatias (que é de meu conhecimento recente). Dia 13 de junho é dia de Santo Antônio, e a véspera dessa data, segundo me explicaram, é tempo de esperança para moçoilas encalhadas, que travam uma batalha contra a solidão em busca do amor verdadeiro.

Talvez por falta de admitir eu não era uma delas até me convencerem a fazer a tal simpatia. Fiz, confesso que sem nenhum orgulho de o estar fazendo! E para me explicar e justificar, não foi um ato de desespero,  fiz por diversão e queiram por favor fingir acreditar!

A simpatia consistia em acender uma vela na intenção do Santo e pingar a cera em uma bacia com água limpa o número da minha idade. Depois do feito, aguardar pela revelação de uma letra que se formaria com a junção da cera sobre a água, que seria a inicial do meu príncipe, futuro amor, próxima vítima ou como queiram denominar. Eu sinceramente não enxerguei letra alguma, ao meu ver poderia ser um "D", um "P", um "T", um "L", até mesmo uma letra grega, porque a coisa ali estava mais amorfa que a minha vida amorosa, porém a moça que me ensinou a simpatia jura que ali se formou um "A". Caraca! "A" de "Advir" (há de vir!), pensei na hora.

Percebi ali uma certa implicância  de Santo Antônio que resolveu tirar uma com a minha cara, já não bastasse a humilhação de ter de lhe implorar por um amor, ele ainda se fez assim tão enigmático. E a simpatia não acabava aí...Eu teria de apagar a vela e escrever nela um pedido, lambuzá-la de mel, acendê-la novamente e deixar queimar até o fim. A moça que me induziu a esse pequeno ritual amoroso, ainda me benzeu, proferindo umas "palavras mágicas" para que tudo se realizasse, não me lembro bem o que ela dizia, mas tinha haver com encontrar amor eterno, fiel e não sei o que lá mais, abratisezamo, sinsalabim, alacazam, abracadabra, amém!". Ainda tinha alguma coisa de espetar uma bananeira à meia noite, mas eu não quis mais me prestar a esse papel. Talvez por uma superstição pessoal inconsciente sem muita explicação, eu tenho certo medo desses rituais que se passam à meia noite. Achei que era demais né?

Vamos dar um tempo para Santo Antônio trabalhar que o negócio não vai ser fácil não. Acho até que vai ser bem difícil, porque uma mulher "velha" assim como eu anda meio fechada para algumas coisas da vida e isso inclui amor. Tenho idade para isso mais não! É o que o meu cérebro e a minha crença de que nada disso funciona dizem...contestando a minha idade fisiológica e os meus hormônios que querem que essa simpatia dê certo "de cum força".

Arthurs, Antônios, Alexandres, Albertos....me aguardem! Diz a lenda e a benção que é pra sempre. Se der certo mesmo, fudeu!

8 comentários:

  1. Todo mundo uma hora simpatiza com uma simpatia.

    E nesse caso, a melhor simpatia é a sua própria, que você tem de sobra. ;]

    Haha, ri muito do 'Arthurs, Antônios, Alexandres, Albertos....me aguardem!'

    =*
    Beijo Joycinha.
    Boa sorte com St Ant.

    ResponderExcluir
  2. Agora eu que vou assumur meus 40 anos imaginários e dar bronca de mãe: que coisa é essa de estar tão desanimada com a vida, dona Choice? Não tô gostando não, hãm! ^_^

    ResponderExcluir
  3. essa vida é um saco, né? Dá vontade (não suicida) de não levantar mais da cama... ultimamente, meu mundinho de Bob tá muito mais interessante e divertido que a vida real.
    Se a sua simpatia der certo vc vai ter que paga-la? Tipo promessa? Deve ser, no mínimo, hilário o pagamento :P

    ResponderExcluir
  4. hahahahahahahahahaha!

    É fato que eu vou rir dessa história 70 vezes, se 70 vezes ela me for contada/eu a ler.

    Gláucia, fica assim não.
    Uma hora a coisa anda!E andar é com A, hein?
    =P

    ;***

    ResponderExcluir
  5. Oi,Joyce,tudo bem?Obrigada por me seguir,já estou te seguindo.
    Logo logo abrirei inscrições para o sorteio do livro.

    ResponderExcluir
  6. Oi,oi florzinha!Vi seu comentário no meu blog,obrigada,eu amo comentários!Vim avisar que já abri o sorteio do livro: http://infinitofeminino.blogspot.com/2010/07/obachegaram-os-livros-que-editora-all.html#comments

    Tem outros sorteios lá super legais e fáceis de participar,todos eles estão linkados na lateral do meu blog,logo á vista.

    Beijinhos,e comente sempre!

    ResponderExcluir
  7. Oii florzinha, encontrei seu blog por aqui e resolver dar uma lida. Gostei muito desse post aqui . Depois, se tiver um tempinho, dá uma passadinha em algum dos meus . Estão no perfil ;* Beijos.

    ResponderExcluir
  8. Arthur é um nome bonito, força aí!
    auishaiushaiushuaisa.

    Ai gente, tem horas na vida que a gente apela!
    Mas força na peruca!!!

    :D

    ResponderExcluir

Você acaba de ganhar um vale-pitaco!