terça-feira, 28 de junho de 2011

Esse não é um manifesto contra a tristeza.



É um desabafo.

Sabe ritmo acelerado? Então, parece que eu sei! Ando me deixando levar por uma inércia louca, daquele jeito que me sinto cansada demais para ouvir meus próprios pensamentos. Calha às vezes de eu prestar atenção, entre uma dor de cabeça e um sono exausto. 

E daí que um dos meus pensamentos escapou hoje e veio crescente durante todo o dia: que tem gente que nasceu pra ser triste. E pior ainda, às vezes a gente vive essa tristeza que não é nossa como que pra ser solidário ou para ver se dá pra repartir um pouco a dor do mundo pra ninguém sair prejudicado. E sendo até um pouco insensível, chego a pensar se não é por osmose que a gente se inunda de tristeza.

Não que eu seja a pessoa mais feliz do mundo, e nem tenho a pretensão de ser, mas tem gente que gosta de levar no rosto sempre aquele semblante de quem está constantemente sofrendo pra viver, e isso eu não consigo entender, eu se quer respeito quem trata tristeza com tanta banalidade. Longe de mim fazer filosofia barata, porque eu sou um zero à esquerda no que diz respeito à muita coisa, eu só sei das minhas dores, dos meus vazios, das minhas saudades e eu me obrigo a suportar, nada disso me deixa ser triste (demais). Da dor dos outros eu não consigo entender, o que torna a tristeza alheia difícil de compartilhar. 

Correndo o risco de ser massacrada por todas as pessoas tristes, muito tristes e insatisfeitas com a vida ao redor do mundo, deixo claro que elas não tem que suportar nada, mas seria esperto da parte delas que o fizessem pelo bem da sobrevivência da espécie. Existe melhor safanão que o conflito, o sofrimento, a tristeza? Dá uma despertada pro que está saindo errado, nos faz querer não ter mais esse tipo de sentimento, é a hora de "sacudir a poeira e dar a volta por cima". Até acho que uma dose de tristeza seja bonito; rende umas poesias profundas, umas músicas boas para curtir dor de cotovelo ou uma ligação inoportuna no meio da madrugada, que vai te deixar constrangido depois que o efeito do álcool passar, mas até isso vai te ensinar alguma coisa. Exagero disso já cansa e não faz sentido. Se dura por tempo demais então é doença, que requer tratamento e isso é papo muito sério. 

Não precisa se munir de gargalhada ou alegria de viver, tudo isso era pra eu dizer de uma forma educada que ser triste o tempo todo é chato, e o pior de tudo é que desencanta. Me desencanta! E depois de hoje, muito desencantada e um pouco mais triste eu percebi que talvez eu não esteja conseguindo ajudar muito, e era só o que eu tinha que fazer. Acho até que seria glorioso desfrutar de uma semana melancólica, porque talvez essa repúdia seja total inveja de quem consegue morrer de tristeza, mas eu sei que um pouquinho de lágrimas de secagem instantânea, e um pouco mais de chocolate que eu poderia comer vão resolver tudo, pelo menos pra mim.


Um comentário:

  1. Acho que consegui acompanhar seu raciocínio.

    E concordo que tem gente que nasceu pra ser triste, sem ter o que mude isso. Sina? Karma? Falta de pró atividade pra mudar?

    E agora, José?

    ResponderExcluir

Você acaba de ganhar um vale-pitaco!